Wednesday, October 01, 2008

Quem sou eu

YinYang: Iansã fazendo amor com Thor na praia de Arembepe.


Não sou uma pessoa que está acima do bem e do mal. E muito menos abaixo.

Se eu pudesse, beberia litros de água de côco todos os dias.

Algumas coisas mudaram a minha vida: e-mail, meditação, teatro, dança. Algumas pessoas mudaram a minha vida e continuam mudando.

Na próxima encarnação, quero beijar alguns homens: Fernando Pessoa, Jung, Borges, Mario Quintana, Nietzsche. Nesta encarnação, quero dar um beijo na boca do Wagner Moura.

Quando eu era criança, vendia limonada na porta do prédio.

Eu sou uma daquelas pessoas chatas, adepta do antes só do que mal acompanhada.

Por favor, não me chame para ver um filme do Rob Williams. Eu odeio qualquer filme com ele.

Eu adoro dormir às 3 da manhã fazendo nada.

Algumas pessoas falam que eu sou criativa. Juro que não acho. A lógica capitalista já engoliu tudo.

Se o filme tá chato, eu saio no meio. Se a festa é chata, eu nem vou.

Eu admiro as pessoas que têm a resposta na ponta da língua. As palavras sempre me faltam.

Eu penso melhor escrevendo.

A minha baianidade é um dos maiores presentes que recebi na vida. Não sei o que seria de mim sem ela.

Sempre que quero me definir, as palavras somem.

O meu estilo é não ter estilo. Odeio camisa de força.

Se eu fosse um carro, eu seria um MINI. Literalmente.

Só é possível filosofar em alemão e, de preferência, com Nietzsche.

Eu canto debaixo do chuveiro.

Ser ou não ser. Pra que escolher se a gente pode ser os dois?

Não importa o que aconteça comigo, eu continuo caminhando.

A minha força está na minha fragilidade.

Sou difícil quando não sou fácil e sou fácil quando não sou difícil. Mas todo mundo é assim, não?

Adoro transgredir o superficial.

Sou uma aprendiz confessa e a minha pergunta favorita é: por quê? Sete vezes.

Já fiz curso de tai-chi, dança moderna, ballet, jazz, cerâmica, pintura em tecido, corte-costura, mergulho - larguei tudo.

Aceitar que eu sou uma grandessíssima idiota, ridícula, humana, limitada e que só uso 10% da minha cabeça animal foi muito difícil para mim, mas quando eu consegui, eu me senti aliviada.

O meu grande sonho é que o mundo se revele através do humano. Só quando o eu for eu (self) é que todos seremos nós.

3 comments:

Marcio said...

Êpa!!! Estou convocando uma auditoria para este depoimento! Você jura que, com 20 anos de idade ou em torno disso, viu "Sociedade dos Poetas Mortos" no cinema (com Robin Williams, sim senhora!) e não gostou? Exijo saber a verdade (risos)!

Mali said...

lindo, lindo! por isso que adoro você!! beijos,

Anonymous said...

vc deve ser uma pessoa bem alegre! gostei do sua filosofia de vida!! Enio Fontes