Wednesday, November 30, 2011

Resgate Mágico


Tantas encruzilhadas... coração, me salva?

Tuesday, November 29, 2011

Bandeira


Contra a devastação da natureza, inclusive, da minha natureza.

Believer

SP, nov. 2011

Ontem me disseram, mais uma vez, que eu deveria ser realista com a minha utopia. Olha só, racionalmente eu até entendo essa proposta, juro que entendo. Mas vai explicar isso para o meu coraçao? Ele não entende. Ele continua acreditando na dignidade, no amor, na liberdade, na coragem, na honra, na justiça, na união dos opostos, na alquimia, nos Deuses. Por isso eu digo, eu até desisto de querer chegar no horizonte, mas ele não. Porque o meu coração, ao contrário de mim, é maleável. Por mais pancada que eu tome, ele continua pulsando. Ele até se encolhe, porém, logo em seguida, se expande de novo. Sempre acreditando na poesia.


Monday, November 28, 2011

Perfume de Mulher




Kali, obrigada! Começando a entender o seu ensinamento sobre homens que se tornam cegos e passam a seguir o perfume da intuição, enxergar muito além dos outros e agir com o coração. Já ouvimos tantas vezes, mas custamos a aprender: "o essencial é invisível aos olhos" e jamais será alcançado ou explicado por uma mente que racionaliza o mundo através de regras.

Kali passou por aqui.

Liberdade


Mesmo que você me diga que este espaço aqui é bastante amplo, continuo pensando: humm, ampla é a natureza. Eu não saberia lhe explicar porque, mas ultimamente tenho uma perturbadora sensação de que qualquer outro lugar anda apertado demais para mim.

Independência ou morte!


Yang meu, quando você disse “ainda tenho um longo caminho até o Ipiranga”, eu pensei: tomara que não. E fiquei refletindo sobre o que me impede de finalmente gritar: independência ou morte! Talvez ainda seja o meu receio de usar a espada contra aqueles que insistem em me manipular porque não aceitam que eu tenha - e siga - o meu próprio caminho. 

Sunday, November 27, 2011

Budismo, cansei de você


Eu sei que eu não deveria desejar, mas eu desejo. Eu sei que eu não deveria me apegar, mas eu me apego. Eu sei que eu deveria viver no aqui e agora, mas eu sonho.  Eu sei que eu deveria seguir o caminho do meio, mas adoro a rebeldia. Eu sei que eu deveria ser disciplinada, mas o caos me atrai. Eu sei que eu deveria madrugar, mas odeio acordar cedo. Eu sei de tudo isso, eu sei. Mas o que pulsa em mim é muito maior do que todas essas técnicas de sublimação.

Luz!


Depois de ter sido tocada por sucessivas sombras, fala pra mim que agora é a sua vez. Sol, vem!

Saturday, November 26, 2011

Você não sabe mais do que eu


Sabe o que eu mais detesto em você? Esse seu ar de onisciência, como se você conhecesse tudo, visse tudo, adivinhasse tudo. Ninguém sabe qual o destino do outro. Ninguém, entendeu? Nem o seu destino você sabe, então pare de dizer que você sabe o meu. 

Kali passou por aqui


Mulher, não te apiedes dos que te miram como ser inatingível. Sem temor, fure os olhos de todos aqueles que jamais ousaram sair dos seus postos confortáveis de meninos mimados. Enquanto o sangue jorra, siga tranqüila, pois condenados à escuridão, eles serão forçados a olhar para dentro e agir com o coração. 

Friday, November 25, 2011

União


Universo, estou, mais uma vez, perplexa com a sua força. De novo, me diz, como você consegue? Eu aqui só fazendo besteira, mas você nunca perde o eixo. Obrigada! Pura reverência ao seu poder invisível, à energia cósmica primordial, à Kundalini, à energia criativa, a Durga.

Mais uma vez você quebrou as minhas pernas.


Universo, quando eu pensei que havia detectado uma determinada lógica no seu funcionamento, vem você e me mostra a inutilidade da minha prepotência. Apesar de toda a minha burrice, insistência e rebeldia, agora eu captei que você manda em mim e que a única coisa que eu posso fazer é confiar, relaxar, entregar e aceitar. Ter fé e nada mais. Juro que entendido está. Mas cadê coragem para sair do discurso e do controle e deixar tudo nas suas mãos?

Caos criativo


Viver no informulado. Quem se atreve?

Thursday, November 24, 2011

MatériaEspírito


Mundos paralelos, em que momento divino vocês vão se unir?

Encontro com Kali



Kali, eu sei que é chato ficar questionando isso, ou melhor, é infantil, mas já que você apareceu, eu queria lhe perguntar uma coisa: falta muito?

Por que?


Inanna chegou perto de mim e disse: não questione os ritos do mundo invisível. Aceite todas as sentenças.  

Leveza


Que bom ser poeira cósmica.

Me deixa!


Passado, pode me fazer um favor? Larga do meu pé! Não tenho mais tempo a perder com peso morto.

Wednesday, November 23, 2011


Sol, pode vir. Agora estou pronta.

Past Tense


Lembrei daquele dia em que você tirou as tais fotografias, em que eu aparecia inteira, porém coberta de nuvens. Da cama eu sentia o seu desejo, da sua lente você focava o meu corpo. Foi tudo tão inédito. Mas agora passou: você, as fotos e o meu querer. Sim, o meu querer por você datou. Olho para trás e vejo um tempo muito remoto. Mesmo que você ainda tenha as fotos, mesmo que eu ainda lembre deste momento, mesmo que você ainda insista, o passado nos engoliu dizendo: acabou. O meu corpo? Ficou. Livre ficou. Sem nuvens ficou. Dançando com a Lua, no infinito, perto do Sol, estou. O seu corpo? Não sei. Talvez o Minotauro acabe com ele. É, acho que este seria um fim apropriado para você: se perder no labirinto e ser devorado pelo monstro. Quando você encontrá-lo, mande lembranças. Diga pra ele que o melhor do instinto é a mágica que acontece fora do pensamento. Tenho certeza de que neste instante fatal, você, encurralado, irá recordar da inútil vontade que você tinha de me manipular e do seu medo de se entregar ao que não tem início, nem meio e nem fim. 

Ego


Desde que você me disse que eu sou a sua musa, eu ando me perguntando o seguinte: ser musa serve pra quê? Desculpe a minha insensibilidade, mas resolvi ignorar o seu ponto de vista e assumir o meu. 

Tuesday, November 22, 2011

Horizonte


Quer saber? Deve ser o inexplicável que vira e mexe vem e, sem pedir licença, toma conta do meu corpo, do seu corpo. É a utopia, o sonho, a loucura. A avassaladora vontade de se jogar porque, lá no fundo, eu sei que a imensidão, por mais que neguem, foi prometida a você e a mim. A nós e a todos aqueles que resistiram e jamais, jamais desistiram de acreditar que é possível voar e ser feliz.

Saturday, November 19, 2011

Fui!


Nunca mais serei objeto de amor de ninguém. Eu sou livre.

Cale-se!


Bruxa, se você der mais uma palavra, eu corto o seu pescoço.

Friday, November 18, 2011

Acordei pensando no Osho: “The child needs your love. Not your help.”


E disse a mim mesma: não comece pela criança. Não comece pelo outro. Comece por você. Aprenda por você. Faça por você. Sonhe por você. Queira por você. Seja por você. Ame por você. Ria por você. Chore por você. Grite por você. Dance por você. Só podemos dar aquilo que temos. Ame-se, por você. E quando você for puro amor, você, sem nem se dar conta, já será puro amor para o outro.

Osho

Parafraseando Clarice Lispector


Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas continuarei a perguntar...

Thursday, November 17, 2011


A mente duvida, mas o coração já sabe.

Wednesday, November 16, 2011

Da minha liberdade cuido eu


Eu ando de saco cheio dessas suas previsões de que eu vou morrer pobre e na solidão. Desde quando Deus lhe autorizou a tomar o lugar dele?

O meu chão escolho eu


Cansei de pisar em ovos turvos com você. Agora os meus pés exigem a firmeza da terra batida e o prazer dos lugares ensolarados.  

Chega!


Hoje alguém me disse que eu deveria, mais uma vez, compreender os seus surtos prepotentes de “tem-que-ser-do-meu-jeito”. Ignorei porque a minha vontade mesmo é a de calar o seu calundu com um soco. Sim, às vezes é necessário. Tardiamente descobri que dar um soco em alguém pode ser um grande ato de amor. Egoísta, talvez. Mas, sem dúvida, um ato de amor próprio. 

V de Vendetta


A minha vingança para este mundo hipócrita é uma só: tirar a máscara.

Tuesday, November 15, 2011

Soy contra!


Preciso deixar registrada aqui a minha indignação com esses aparelhos de espionagem para bebês, vulgo, baby-monitor ou babá eletrônica. Sou totalmente contra essa arapuca Big Brother. Os bebês nem nascem direito e já rola um ambiente 1984. Bem que o George Orwell previu tudo isso. Será que os pais não percebem que essa é uma invasão sobre a liberdade do indivíduo? E para aqueles que usam o discurso de proteção e segurança, eu aviso logo que essa também é a fala dos ditadores.

O nosso conto de fadas

Quando a gente brigava, você esbravejava: “bruxa!”. Agora eu posso dizer que você tinha razão. Acabei de descobrir que a maçã que eu lhe oferecia era, de fato, envenenada. Lamento, mas juro que  não me dava conta, pois apenas repassava a maçã que haviam me vendido. Triste isso. Fiquei pensando que nesta sociedade manipulativa em que vivemos, quantas mulheres andam por aí distribuindo substâncias tóxicas sem nunca tropeçar em botas de ferro.

Basta!


Se eu não lhe matasse, eu não conseguiria ser eu.  Você não deixava. Foi por isso que eu lhe dei um tiro na cabeça e lhe joguei para fora da porta de casa. Quando o zelador passou, eu disse para ele: era ela ou eu. Ele não entendeu muito bem, mas pouco importa, porque ele não sabe o que é ter que agir em legítima defesa. Só eu sei.

Monday, November 14, 2011

EspíritoAlma


Quando a sua espada atravessou o meu corpo, uma corrente elétrica me chacoalhou inteira.  Agora que um espírito valente se atreveu a cortar a minha carne para tocar a minha alma, eu posso dizer: herói.

Untitled


Hoje eu queria que você me amasse pelos meus erros, sem aquele porém, sem todavia. Hoje, eu lhe peço, não me critique. Hoje não. Hoje ame o que há de pior em mim. Ame todos as minhas falhas com o carinho e a compreensão de quem sabe mais. Amanhã me diga palavras de censura, de superioridade, de análise, mas neste exato momento, quando todos os meus defeitos me deixam tão insegura, tenha o coração aberto pra mim. E me ame inteira. Me ame naquilo que nunca ninguém ousou me amar. Amanhã faça o que você quiser, mas agora, entenda que eu preciso que você me aceite, me dê colo e diga que o meu medo de fazer errado é bobagem porque você adora quando eu erro.  Diga que neste instante a única coisa que importa é o meu beijo, o meu olhar, o meu cheiro. Diga que você sabe que, lá no fundo, eu erro só para que você me queira ainda mais. Que eu invento todos esses desajeitos apenas para que você sinta um amor ainda mais inexplicável por mim. Hoje, com as minhas incontáveis limitações escancaradas diante de você, eu quero o seu coração luminoso aquecendo a escuridão do meu ser e me dizendo o que nem eu mesma acredito, que os meus erros me deixam ainda mais humana e que quando eu falho você vê muito mais beleza em mim. 


Com muita vontade de dizer coisas indizíveis no seu ouvido.

Natureza


um que transcende e vira dois, dois que transcende e vira um, um que transcende e vira dois... 

Sunday, November 13, 2011

2012


Para 2012 eu tenho um único desejo: ser árvore. Captar energia luminosa e emanar vida.

Saturday, November 12, 2011

Remember, remember the 5th of November II


Eu nunca mais vou esquecer o dia 5 de novembro de 2011, o dia em que você intuitivamente e corajosamente quebrou todas as convenções e nós tiramos a máscara.

A espiritualidade para mim é algo muito concreto


Espiritualizada para mim é a Maria e não essas pessoas com discursinhos prontos, que ficam repetindo Namastê que nem papagaios! Espiritualidade para mim é algo bem concreto, é a nossa atitude de Maria perante a vida.

"Lata d'água na cabeça,
Lá vai Maria. Lá vai Maria:
Sobe o morro e não se cansa.
Pela mão leva a criança.
Lá vai Maria."


No dia em que você entender o inexplicável, você me explica?


Sim, eu tenho a ansiedade das pessoas que têm pressa de viver.

Friday, November 11, 2011

11 11 11 O AMOR VIVE NO AGORA, A MENTE É QUE TEM DIA


Meu manifesto para o dia de hoje, de amanhã, e principalmente para os dias que já entenderam que o dia não existe, só o agora: "Harmony and understanding/ Sympathy and trust abounding/No more falsehoods or derisions/ Golding living dreams of visions/ Mystic crystal revelations/ and the mind’s true liberation”. 


11 11 11


Acho que a gente deveria se amar, antes que o mundo acabe.

Thursday, November 10, 2011

Remember, remember the 5th of November

SP, 7/11/11


“But if you see what I see, if you feel as I feel, and if you would seek as I seek, then I ask you to stand beside me one year from tonight, outside the gates of Parliament, and together we shall give them a fifth of November that shall never, ever be forgot.” V, a man in a mask.

Wednesday, November 09, 2011

Mágica


Universo, você é o cara mais louco que eu já conheci. Nos últimos dias, não consigo parar de rir. Você é brilhante demais! Deu xeque-mate na minha mente! Inexplicável, você venceu! 


O inexplicável é avassalador.

I'm free to do what I want


Essa semana eu me dei o direito de ser irrestritamente louca e voar orgasticamente com as asas dos vulcões. Na próxima semana, eu volto a conversar com a minha mente, mas essa semana já está decretado: quem manda em mim é o meu coração.





Monday, November 07, 2011

Despudor


O meu corpo quer te dizer coisas que a minha mente desmentiria.

Inevitável


Hoje eu queria que você acordasse me amando, mesmo que amanhã você me odiasse por todas as contradições que o meu corpo foi incapaz de evitar. 

Friday, November 04, 2011

Coragem de Viver

Pra quê?


Sim, eu fico possessa quando alguém me diz que as mulheres vão dominar o mundo. O meu problema não são as (nós) mulheres (mágicas!) e nem o mundo (vasto mundo!). O que eu realmente não suporto mais ouvir é essa palavra: dominação. Afinal, dominação serve pra quê?*

(*) Lembrando da minha amiga Lud que sempre cita Clarice


Para os buscadores




“(Reconhecer) a capacidade do coração de suportar tudo o que aparece na consciência incluindo cada idéia, conceito,  sentimento de quem você pensa que você é, cada limitação, cada ambiente infernal, cada ambiente celestial, cada Deus, cada demônio, tudo. O coração pode suportar tudo. Pois o coração é a expressão viva da consciência." Gangaji

Este vídeo me lembrou um momento muito especial que eu vivi quando, depois de ver tanta sombra, tanta coisa feia, tanto pus dentro de mim, pela primeira vez, tive um vislumbre da minha essência. Desde então, nada mudou, continuo pagando IPTU e IPVA, mas mudou tudo dentro de mim. Na época, escrevi um post.


Totalidade


Se de dia nos encontrarmos que sejamos nós, dois inteiros. Mas, à noite, ah, à noite, que nós dois, inteiros, sejamos um.

Wednesday, November 02, 2011

O que é amor?

Hey Jude


Naquela época, eu não aceitava que você me amasse do seu jeito. Foi por isso que quando você resolveu me fazer uma surpresa e cantar 'Hey Jude' fiquei paralisada. O seu cover era provinciano. Juro que tentava me convencer de que deveria gostar, mas você desarticulava os sons,  dizia 'into your heart' de forma esganiçada, com um olhar meloso, sem graça. Era dissonante, pueril. No final, você imprimiu a letra e me deu. Aí eu queria morrer. O que deveria fazer com a letra de uma canção que eu sabia de cor e salteado? Fiz uma força tremenda para me desprender da decepção. Foi inútil. Ingenuamente, você havia assassinado a minha música preferida. Não sabia o que dizer. Qualquer palavra sincera expressaria desafeto.  

Quando finalmente concordou em me levar de volta para casa, a ruína já havia se instaurado. Descemos no elevador do seu prédio e fiquei em pânico só de imaginar que na semana seguinte você poderia entoar "The long and winding road". Pior, eu teria que gostar só pra te deixar contente. Não iria conseguir. Não suportaria presenciar outro assassinato sem criticar. Entramos no seu carro em silêncio. A situação me constrangia. Saltei do carro já com o término em mente. Não poderia continuar namorando com alguém que havia maculado por inteiro sete minutos de uma perfeita melodia. Fechei a porta imaginando que jamais escutaria Hey Jude novamente sem me lembrar da sua malfadada cantoria solo. 

Entrei no meu prédio indignada. Subi o elevador indignada. Cheguei em casa indignada. E de indignação passei a raiva. Como você pode ser tão tosco e estragar tudo? Peguei bode. Não poderia mais te ver. Era inimaginável um novo encontro. Ficaria sempre tentando adivinhar qual música dos Beatles entraria na fila para ser sacrificada. No dia seguinte, quando você me ligou, não tive dúvida. E mesmo que fosse imaturo terminar por telefone,  era preciso salvar as músicas.

Raramente ouvimos essa canção de novo, até que ontem o meu professor de voz sugeriu: por que você não canta Hey Jude? Lembrei com carinho do dia em que você resolveu tomar aulas de  violão só para me impressionar. Lembrei que naquela época, era mimada, adolescente, desentendida da vida. Por que um rapaz iria se esforçar para me cativar? As artimanhas da conquista eram coisas inexistentes em mim. Talvez ainda sejam. Você sabe, percebo estranhos os ziguezagues das relações. Do tempo. Insólitos os caminhos que nos fazem atinar para o destino. Olhar pra trás, anos depois.  Eu era insensível. Racional? Quem sabe continue. Quem sabe. Você tinha um jeito singular de expressar o amor que sentia, uma maneira única e sua. Ainda tem. E tem razão, resisti, questionei, demorei, acima de tudo demorei, mas foi assim. Só quando cantei 'into your heart' foi que aceitei que a sua forma de me amar é sua. Só sua. Sorri.

"O que me aborrece é a hipocrisia"

De que adianta me libertar dos Homens se continuo escrava dos Deuses?


Alguém pode mandar chamar Euristeus? Quero pedir demissão. Diga a ele que as promessas de transmutação não me compram mais e que as maldições de Delfos não me metem mais medo. 

12


Pelos meus cálculos, eu estou no início do nono trabalho de Hércules. Que desânimo quando penso que ainda me restam quatro árduas tarefas cheias de testes e monstros. Será que alguém pode conseguir um duble para mim? O meu encontro com o minotauro me deixou exausta.

Tuesday, November 01, 2011

Melodia


Enquanto as palavras escorriam pelo meu corpo, você tentava segurá-las. Que louco você, ousar capturar o que vibra, só para colocar na sua caixa de ressonância.